Código de sucesso: Família

A família, enquanto organismo vivo, exige ser entendida como um sistema, um todo, uma globalidade que só uma perspetiva holística pode ajudar a explicitar. Na verdade, existem muitas definições de família, no entanto possivelmente o mais importante seja vê-la como um todo, como uma emergência dos seus elementos, o que a torna una e única. Pensamos assim numa rede complexa de relações e emoções que variam conforme quem as cria e quem as vive…

 

Convivência familiar

Ora se se trata de um todo, organizado de forma tão peculiar, porque integra partes constituintes tão importantes, estas partes ligadas por um conjunto de relações, em contínua relação com o exterior, têm que manter o seu equilíbrio ao longo de um processo de desenvolvimento, percorrido através de estádios de evolução. A família nasce, cresce e “morre”… A família adoece e enlouquece…A família cria-se e recria-se, desorganiza-se e volta a organizar-se…E cresce com todas as experiências do seu percurso de vida.
A definição de limites entre os subsistemas (individual, conjugal, parental, fraternal) torna-se fundamental, principalmente em situações de crise familiar, dado que protege cada elemento da família. Assim, existe uma área própria de satisfação das necessidades e do equilíbrio entre a abertura e o fecho do subsistema relativamente aos outros sistemas.
O stress sobre a família é máximo nos pontos de transição de uma fase do ciclo vital para outra, exatamente porque obriga a família a mudar os seus comportamentos para fazer face às novas solicitações. Todos sabemos que uma família sem filhos não é igual a uma família com filhos pequenos e uma família com filhos pequenos não é igual a uma família com filhos jovens e com pais dependentes…Enfim, todas as fases do ciclo de vida familiar exigem a cada elemento a adaptação necessária para adequar a sua vivência individual à exigência familiar.

 

Parentalidade

Como outros acontecimentos importantes do ciclo de vida, que trazem associadas mudanças nos padrões de funcionamento habitual, os processos de gravidez e transição para a parentalidade implicam stress. As mudanças sentidas na transição para a parentalidade trazem necessariamente perdas e ganhos, intrinsecamente associadas às representações ou significados que tais processos trazem para cada mulher e para cada homem e exigem um conjunto de respostas (comportamentais, cognitivas e emocionais) que habitualmente não integram o repertório cognitivo dos pais, por isso impõem adaptações específicas. O processo de avaliação cognitiva, que os novos pais fazem da sua capacidade de controlo dos acontecimentos, as possíveis consequências e os recursos de que dispõem que podem mobilizar estarão relacionados com a qualidade na adaptação à parentalidade.

 

Estrutura familiar – Designed by Freepik

Afinal, por mais positivas que sejam as mudanças familiares, trazem sempre uma avaliação do que foi e já não é, dos recursos que são necessários mobilizar para fazer face aos novos desafios…
O cinemasemconflitos pode ajudar cada família, na especificidade das suas vivências, a encontrar os recursos necessários a cada desafio e capacitar as famílias de ainda mais meios relacionais entre os vários elementos constuintes, que serão sempre um escudo protetor para os desafios mais exigentes e pressões nos dias que correm.

 

Filme recomendado pela equipa Cinema Sem Conflitos:

 

 

 

Comentar